Dicas Úteis Que Você Deve Saber Para Pintura em Tecido

Existem várias técnicas para pintar em tecido, porém, vou apresentar neste artigo o passo a passo de como se preparar para pintar em tecido. A técnica, com o tempo, cada um vai buscando a que melhor se adapte e goste.

A pintura em tecido precisa ter harmonia, nem todos os trabalhos precisam ser iguais, na verdade dificilmente serão, pois cada pincelada será diferente uma da outra, cada mistura de tinta será diferente, pois trabalhos artesanais não seguem o mesmo sistema de linha de produção, cada um terá sua personalidade, mesmo que o desenho seja o mesmo haverá uma diferença entre eles, mesmo que sutil.

Os materiais necessários são:

Tecido

Normalmente tecido de algodão ou com mistura de poliéster e algodão. Deve ser molhado antes de pintar para retirar resíduos e possíveis gomas; após secar, passar a ferro. Tecidos como seda e lycra também podem ser pintados, mas com outra técnica.

Base para fixar o tecido

Pode ser um pedaço de madeira (tipo Eucatex) – nesse caso, você vai precisar utilizar a cola permanente, facilmente encontrada no mercado. A cola é aplicada com pincel, assim que secar, a superfície fica pegajosa (grudenta) e própria para que o tecido seja fixado podendo ser retirado e colado quantas vezes for necessário. Comece colando pelo centro do tecido tomando cuidado para não esticar as tramas ou o desenho. Como o tecido solta fiapos, quando necessário a placa deve ser limpa com uma esponja umedecida fazendo com que a fixação da cola volte. Quando perceber que mesmo limpando a cola já não tem mais o poder de fixar o tecido, passe nova camada sem a necessidade de retirar a anterior. Para guardar a madeira com cola enquanto não se está utilizando, cubra com um pedaço de plástico grosso (tipo saco de arroz), assim, quando precisar usar a cola terá sido conservada do contato com impurezas e poeira do ambiente.

Placa de isopor – nesse caso a fixação do tecido é feita com alfinetes de cabeça, a placa de isopor deve ser de espessura mínima de 2,5 cm. O tecido deve ser fixado bem esticado, porém, tomando o cuidado para não entortar o desenho ou as tramas do tecido, pois se acontecer quando o tecido for solto o desenho ficará torto. O ideal é que a placa seja menor do que a área do desenho a ser pintado para que o tecido seja preso com os alfinetes nas laterais da placa de isopor, deixando a parte de cima livre para desenvolver a pintura e o tecido ficar bem esticado.

Para passar o desenho no tecido

Se a pessoa tiver habilidade para desenhar à mão livre, é só fazer o desenho com lápis para riscar roupa, conhecido também por giz de alfaiate, ou lápis de cor em tom claro como cinza, ou já utilizando em cada parte do desenho a cor que será utilizada.

Essas duas primeiras técnicas garantem que ao terminar a pintura o risco saia facilmente.

Para quem não tem habilidade para fazer o desenho à mão livre, pode fazer a cópia do desenho em folha sulfite ou imprimir, prender na base do tecido já preso na placa, uma folha de papel carbono para costura, de preferência a cor não muito forte, mas que possa permitir que o contorno fique visível. Prenda com fita adesiva e coloque a folha com o desenho sobre o carbono, cole as bordas também com fita e sobre ele um plástico ou celofane para não rasgar o papel, passe um lápis com ponta macia sobre todo o contorno do desenho fazendo pressão suficiente para que o desenho fique gravado no tecido sem falhas. Retire a folha e se ficou alguma falha, complete.

Preparando o fundo da pintura

Mesmo que o tecido seja de fundo branco, o ideal é dar uma camada de tinta branca misturada com clareador, em proporção de um de tinta branca para dois de clareador. A função do clareador é dar leveza à pintura, deixar a tinta mais leve e elástica. O clareador pode ser utilizado também para as outras cores em quantidade menor, só uma pincelada de clareador em um pouco de tinta.

A tinta utilizada é à base de água, também conhecida como tinta de tecido, ou tinta acrílica. Existem várias marcas, o importante na hora de comprar é verificar a data de validade e sacudir o frasco para verificar se está liquida e não seca.

Equipamento

Mantenha dois potes de água por perto para lavar os pincéis na troca da cor da tinta e para umedecer o mesmo.

Retalhos de tecido velho ou papel toalha para limpar o pincel.

O pincel é a ferramenta mais importante de seu trabalho, por isso prime pela qualidade na hora de adquiri-los. Existem vários tipos de pincéis, aos poucos você pode ir adquirindo-os. Os principais modelos são:

Pincel chato – para trabalhar áreas maiores com mais quantidade de tinta.
Pincel chato de cerdas duras e curtas – para dar a base branca.
Pincel chanfrado – também conhecido como angular para áreas menores e pontiagudas do desenho, indicado também para dar efeito de sombra, podendo trabalhar com duas cores de tinta no pincel.
Pincel redondo – para ser usado em pé para dar efeito de nuvem, pelo, etc. Conhecido também como “pata de vaca”.
Pincel língua de gato – para traços retos e ou contínuos como ramos, folhas, etc.
Pincel filete – com cerdas bem alongadas é próprio para contornos e traços finos.
A pintura deve começar pelo fundo, ou seja, a cor que ficará no fundo da pintura é a primeira a ser colocada no tecido. Por exemplo, se for fazer uma folha a primeira cor após o fundo branco é o verde mais escuro, aos poucos outros tons de verde, amarelo ou branco para dar profundidade, sombra e luz. Com o pincel filete, fazer os detalhes como nervuras e detalhes da folha com o verde mais escuro ou outro tom escuro que faça os detalhes.

Após o termino da pintura, retirar o tecido da placa e deixar secar, aguardar pelo menos dois dias para fazer a primeira lavagem.

Pintura em tecido, como qualquer outro artesanato, requer paciência, treino e dedicação, buscar orientação, cursos que possam ajudar a aperfeiçoar os pequenos detalhes que fazem a diferença no trabalho.

Fonte: familia.com.br

pintura-em-tecido_450x300.jpg